Incomparáveis! Dez vezes mais! Edição de Janeiro

Decisão – Daniel, porém, decidiu no seu coração não se tornar impuro consumindo as iguarias do rei nem com o vinho especial servido à mesa real, e solicitou ao chefe dos oficiais permissão para se abster daqueles alimentos (Daniel 1.8) – Incomparáveis! Dez vezes mais!

Uma decisão transformou a vida de Daniel com os companheiros Hananias, Misael e Azarias. A decisão de permanecerem puros e a forte dependência deles em Deus é um tema importante em todo o Livro de Daniel. Mesmo em meio às pressões extraordinárias, eles receberam favor sobrenatural para permanecerem fieis, separados e foram grandes bênçãos para muitos. 

A comida do rei e o vinho eram iguarias saborosas e desejadas, porque, com certeza, o que existia de melhor estava na mesa do grande imperador Nabucodonosor, porém aquele que conhece o Deus vivo experimenta o que há de melhor e superior que provém de Deus. Muito embora eles estivessem exilados em terra estranha e fossem muito jovens ainda, a Palavra de Deus estava bem fundamentada nelestanto é que eles sabiam que decisão deveriam tomar e que fosse saudável para a vida deles. Era a decisão de não se contaminarem espiritualmente e não comerem da comida e dos alimentos consagrados aos ídolos que conforme a fé deles, não deviam ingerir. Essa decisão radical foi um ato de fé honrando a Deus como prioridade

Durante os três anos de treinamento determinado pelo rei, eles receberam somente vegetais e água. Foi um sacrifício imenso! Daniel pediu ao encarregado para não comer da comida que vinha da mesa do rei; ele temeu e alegou que os jovens ficariam com a aparência abatida e o rei o responsabilizaria e pediria sua cabeça. Ousadamente, Daniel pediu a ele que os testasse por dez dias apenas e a Bíblia diz que Deus fez com que o encarregado da alimentação os favorecesse. Passados os dez dias, eles estavam muito melhores do que todos os outros. Passados os dez dias, Daniel e seus três amigos pareciam mais saudáveis e bem nutridos que os outros rapazes que se alimentavam da comida do rei (Daniel 1.15).

Nabucodonosor procurou de todas as formas integrar os exilados na cultura babilônica tentando suprimir a religião e a identidade cultural deles para criar uma dependência total da corte. Até os nomes israelitas de cada um, ligados ao Deus de Israel, foram trocados por nomes ligados às divindades babilônicas. Eles foram educados na língua e na literatura mitológica dos babilônicos. E a comida que vinha da mesa do rei seria para lembrá-los sempre da fonte de seu pão diário.

Nabucodonosor tinha certeza que controlava tudo, mas estava muito enganado! Em nenhum momento, os quatro jovens se submeteram às coisas que tinham o poder de afetar a vida espiritual deles. Eles sabiam muito bem esta máxima: Tudo depende da parte espiritual e quando ela caminha bem, tudo tende a caminhar muito bem. Corajosamente, usaram a fé no Deus vivo e foram preservados nos detalhes e honrados! Viveram sendo promovidos a cargos cada vez maiores durante toda vida. Uma decisão atraiu para eles um resultado tão grande, surpreendente, incomum, uma atitude épica com um resultado épico. Passados os três anos, no fim do treinamento, foram levados à presença do rei que constatou serem eles incomparáveis aos jovens que fizeram também o treinamento, sendo ainda dez vezes mais sábios e entendidos do que todos os outros sábios e entendidos da época, em todos os assuntos que o rei os inquiriu. Eles foram colocados à frente de muita gente que estava lá fazia tempo e ninguém se comparou a eles, tanto é que o rei os segurou com ele por ver a perplexidade da diferença. 

Na casa do Senhor, diante do pátio novo, todos os homens de Judá com as famílias e até crianças de colo estavam em pé diante d’Ele, em oração e jejum, totalmente dependentes. Rendidos, creram no socorro, no livramento que só Ele poderia dar. Josafá lembrou o Senhor que aquela terra tinha sido dada aos descendentes de Abraão e, conforme as Escrituras, se algum mal sobreviesse, fosse espada, juízo, peste, fome, o povo deveria fazer o que estava fazendo: no templo diante do Todo Poderoso que fez o céu e a terra, clamar e Deus ouviria e o livraria.

Força eles não tinham para vencer aquele grande problema, mas os seus olhos se voltavam para o Senhor. Ah! Nosso Deus, acaso, não executarás tu o teu julgamento contra eles? Porque em nós não há força para resistirmos a essa grande multidão que vem contra nós, e não sabemos nós o que fazer; porém os nossos olhos estão postos em ti (2 Crônicas 20.12).

De forma poderosa, o Espírito do Senhor veio sobre Jaaziel que entregou a resposta da oração de Josafá e a primeira coisa foi: Não tenham medo, não se assustem por causa da multidão de inimigos e deixou claro que a batalha não era deles, o Senhor sozinho agiria em favor do seu povo.  

Encontramos similaridades com o que Deus fez abrindo o Mar Vermelho e derrotando todos os egípcios, como está escrito: Não tenham medo; fiquem firmes e vejam o livramento que o Senhor lhes fará no dia de hoje… O Senhor lutará por vocês; fiquem calmos (Êxodo 14.13 ao 14). Foi, exatamente o que aconteceu! O Senhor lutou por Seu povo que tomou posição, foi de encontro ao inimigo, mas seguro que não precisaria lutar. 

Josafá se prostrou com o rosto em terra e, nesse momento, todos se prostraram e adoraram. Os levitas se levantaram e em alta voz louvaram ao Senhor, o Deus de Israel. Na manhã seguinte, levantaram-se cedo e partiram para o enfrentamento. 

Jônatas disse a seu escudeiro: “Vamos atravessar até o destacamento daqueles incircuncisos! Quem sabe o Senhor nos ajudará, pois nada pode deter o Senhor. Ele pode vencer com muitos guerreiros e também, com apenas uns poucos “(1 Samuel 14.6)

Subtítulo: Incomparáveis! Dez vezes mais! Edição de Janeiro – 1º.01.2022

Uma mente renovada é dominada pela fé na Palavra, é prisioneira da esperança e não enxerga mais o impossível. Porquanto tudo que foi escrito no passado, foi escrito para nos ensinar, de forma que por meio da perseverança e do bom ânimo provenientes das Escrituras, mantenhamos firme a nossa esperança (Romanos 15.4). Tudo foi registrado para nos ensinar, para que nós possamos perseverar animados, firmes, cheios de esperança, porque o Deus que operou na vida de tantas pessoas continua o Mesmo na vida de todos que creem. Se crermos, jamais nos decepcionaremos. Todo aquele que nele crê jamais será decepcionado (Romanos 10.11). 

Com Jesus aprendemos a invadir o impossível, a crer na multiplicação do pouco, que no mesmo lugar no mesmo “mar” onde não tivemos nenhum resultado, teremos a maior “pescaria” da nossa vida! Mesmo que alguém nunca tenha vivido algo, ele pode ser o primeiro “leproso” a ser curado. Mesmo que tenhamos vivido isolados e nos escondendo como a samaritana, podemos ainda fazer algo muito grande. Mesmo que nossa reputação tenha sido jogada na lama, como a da mulher pega em adultério, podemos ser anunciadores de boas novas, como: “Jesus ressuscitou”.  – Link.: Edição.

Vida Hoje: Incomparáveis! Dez vezes mais! Edição de Janeiro, Incomparáveis! Dez vezes mais! Edição de Janeiro, Incomparáveis! Dez vezes mais! Edição de Janeiro Incomparáveis! Dez vezes mais! Edição de Janeiro, Incomparáveis! Dez vezes mais! Edição de Janeiro…  Link.: Nossa loja MMV .

  • ademais
  • afinal
  • aliás
  • analogamente
  • anteriormente
  • assim
  • certamente
  • conforme
  • a fim de, a fim de que, a menos que, a princípio, a saber
  • acima de tudo
  • ainda assim
  • não apenas … , como também … não só … , bem como …  não só … , como também …  não só … , mas também …

Líder Espiritual do Ministério Mudança de Vida – Profetiza – Edição setembro

Palavra de

Vida e Fé:

Incomparáveis! Dez vezes mais! Edição de janeiro [2022]

Incomparáveis! Dez vezes mais! Edição de Janeiro

- Incomparáveis! Dez vezes mais!

Incomparáveis! Dez vezes mais!

Decisão 

Daniel, porém, decidiu no seu coração não se tornar impuro consumindo as iguarias do rei nem com o vinho especial servido à mesa real, e solicitou ao chefe dos oficiais permissão para se abster daqueles alimentos (Daniel 1.8). 

Uma decisão transformou a vida de Daniel com os companheiros Hananias, Misael e Azarias. A decisão de permanecerem puros e a forte dependência deles em Deus é um tema importante em todo o Livro de Daniel. Mesmo em meio às pressões extraordinárias, eles receberam favor sobrenatural para permanecerem fieis, separados e foram grandes bênçãos para muitos. 

A comida do rei e o vinho eram iguarias saborosas e desejadas, porque, com certeza, o que existia de melhor estava na mesa do grande imperador Nabucodonosor, porém aquele que conhece o Deus vivo experimenta o que há de melhor e superior que provém de Deus. Muito embora eles estivessem exilados em terra estranha e fossem muito jovens ainda, a Palavra de Deus estava bem fundamentada nelestanto é que eles sabiam que decisão deveriam tomar e que fosse saudável para a vida deles. Era a decisão de não se contaminarem espiritualmente e não comerem da comida e dos alimentos consagrados aos ídolos que conforme a fé deles, não deviam ingerir. Essa decisão radical foi um ato de fé honrando a Deus como prioridade

Durante os três anos de treinamento determinado pelo rei, eles receberam somente vegetais e água. Foi um sacrifício imenso! Daniel pediu ao encarregado para não comer da comida que vinha da mesa do rei; ele temeu e alegou que os jovens ficariam com a aparência abatida e o rei o responsabilizaria e pediria sua cabeça. Ousadamente, Daniel pediu a ele que os testasse por dez dias apenas e a Bíblia diz que Deus fez com que o encarregado da alimentação os favorecesse. Passados os dez dias, eles estavam muito melhores do que todos os outros. Passados os dez dias, Daniel e seus três amigos pareciam mais saudáveis e bem nutridos que os outros rapazes que se alimentavam da comida do rei (Daniel 1.15).

Nabucodonosor procurou de todas as formas integrar os exilados na cultura babilônica tentando suprimir a religião e a identidade cultural deles para criar uma dependência total da corte. Até os nomes israelitas de cada um, ligados ao Deus de Israel, foram trocados por nomes ligados às divindades babilônicas. Eles foram educados na língua e na literatura mitológica dos babilônicos. E a comida que vinha da mesa do rei seria para lembrá-los sempre da fonte de seu pão diário.

Nabucodonosor tinha certeza que controlava tudo, mas estava muito enganado! Em nenhum momento, os quatro jovens se submeteram às coisas que tinham o poder de afetar a vida espiritual deles. Eles sabiam muito bem esta máxima: Tudo depende da parte espiritual e quando ela caminha bem, tudo tende a caminhar muito bem. Corajosamente, usaram a fé no Deus vivo e foram preservados nos detalhes e honrados! Viveram sendo promovidos a cargos cada vez maiores durante toda vida. Uma decisão atraiu para eles um resultado tão grande, surpreendente, incomum, uma atitude épica com um resultado épico. Passados os três anos, no fim do treinamento, foram levados à presença do rei que constatou serem eles incomparáveis aos jovens que fizeram também o treinamento, sendo ainda dez vezes mais sábios e entendidos do que todos os outros sábios e entendidos da época, em todos os assuntos que o rei os inquiriu. Eles foram colocados à frente de muita gente que estava lá fazia tempo e ninguém se comparou a eles, tanto é que o rei os segurou com ele por ver a perplexidade da diferença. 

Tudo é Deus! Logo no teste dos dez dias em que comeram somente vegetais, a aparência dos quatro jovens já estava mais robusta do que os que ingeriram a dieta hipercalórica do rei. Era Deus firmando o quanto tinha Se agradado da decisão derramando Sua misericórdia e favor sobre eles. Três anos depois, além de saudáveis e da boa aparência, Deus lhes concedeu excepcional conhecimento, inteligência na cultura, sabedoria e, a Daniel, ainda algo mais, a capacidade de interpretar sonhos e visões. A misericórdia e o favor do Senhor os capacitou para responder todas as perguntas de tal forma que o rei os considerou incomparáveis e dez vezes mais sábios que seus conselheiros pagãos.

Esses jovens tinham a sabedoria, o conhecimento, o entendimento e o caráter necessários para atuarem nos níveis mais elevados do governo. O rei os queria dependentes dele, mas seus corações pertenciam ao Deus vivo e a obediência deu condições ao Deus Todo Poderoso para agir em favor deles em tudo durante toda a vida. O passo de fé sacrificial transformou o destino dos quatro jovens, porque eles mantiveram e nunca perderam o que o  Senhor lhes deu. A integridade espiritual foi preservada acima de tudo, pois evitaram os alimentos impuros, nunca se renderam à cultura da Babilônia e o resultado foi que eles sempre foram cabeça, sempre estiveram por cima entre os grandes e sempre sendo elevados para mais. 

Daniel mostrou sabedoria, prudência e gentileza exemplares. Eles permaneceram fieis durante toda vida sempre vivendo uma promoção maior. Foram três anos de treinamento e dieta rigorosos, mas no final o resultado foi sobrenatural. 

Reis e impérios se foram e Daniel manteve-se lá sempre extremamente honrado, porque Deus o sustentou por toda a vida. E saber que tudo começou com uma decisão! 

O Senhor concedeu aos quatro rapazes aptidão incomum para entender todos os aspectos da literatura e da sabedoria. E a Daniel, concedeu a capacidade especial de interpretar sonhos e visões

O rei conversou com eles e não encontrou ninguém comparável a Daniel, Hananias, Misael e Azarias, de modo que eles passaram a servir o rei. E o rei concluiu que eram dez vezes mais sábios e instruídos do que todos os magos, místicos e adivinhos que havia em todo o seu reino, e isso em todos os assuntos e matérias referentes ao saber e ao discernimento, sobre os quais o rei os inquiriu diligentemente. 

Assim Daniel permaneceu como oficial do rei até o primeiro ano de Ciro, o imperador (Daniel 1.17, 19 ao 21).

Aptidão incomum! Incomparáveis! Eram dez vezes mais! Eles somente chegaram nesse ponto tão elevado da vida, porque quando foram arrancados da terra deles e viram tudo devastado, morando em terra estranha debaixo de um domínio pagão, no auge da dor, eles tomaram a decisão de não se contaminarem, decidiram viver uma vida separada, rejeitando o pão e o vinho da mesa do rei. Deixaram claro que o que alimentava o rei não era o que os alimentava. Vinho significa alegria. Deixaram claro também, que o que fazia a alegria do rei não era o que os deixava felizes. Isso é muito forte. O que todo mundo via como maravilhoso e até um privilégio, eles enxergaram como contaminação. O que supria, alimentava, saciava, alegrava seus corações era bem diferente! A visão de vida e de felicidade que eles tinham, era diferente de todos os outros, por isso obtiveram resultados estrondosamente diferenciados.

A Bíblia diz que a fé vem pelo ouvir a Palavra de Deus, porém não é somente ouvir a Palavra; é ouvir pela Palavra. Ela traz uma revelação que nos leva a ver. A verdadeira fé nos dá acesso ao seu maior ponto de inteligência e a inteligência provém da fé. Nós não cremos, porque entendemos, mas entendemos porque cremos. A fé nos dá acesso a um entendimento que não podemos alcançar por meio do raciocínio humano. A fé não nega o problema, mas sim um lugar de influência em que podemos enxergar o problemamas ele não vai nos influenciar, nos conduzir, nos controlar e determinar nosso destino. 

A vida é feita de escolhas. Podemos crer e nos posicionar com uma fé invencivelmente corajosa, levantar-nos, construirmos e ocupar o nosso lugar, preparar o caminho ou nos intimidar acovardando-nos e cedendo para o que irá nos destruir, seja um conforto ou um prazer momentâneo, não querer contrariar e permanecer no meio da multidão. Daniel decidiu e os três jovens o acompanharam, fizeram diferente de tudo e de todos e viveram resultados nunca antes vistos nem vividos por alguém.

É janeiro! Ano novo com cheirinho de novo! É um portal aberto! Uma nova oportunidade! Podemos agarrar e viver o que nunca vivemos! 

Este pode ser o ano da nossa vida, o melhor ano até então ou somente mais um ano. 

Se você me perguntar como vai ser o ano de 2022, eu lhe respondo: Depende; se você crer que será o melhor ano da sua vida até então, assim será. Jesus diz: Seja feito conforme a sua fé. Portanto, será conforme a minha fé, a sua fé, a nossa fé! Enfatizo, porém que a fé não é viva se não for acompanhada de obras, porque ela começa com uma decisão. 

Conte com as minhas orações sempre.  

Bispa Cléo Ribeiro Rossafa
Líder Espiritual do Ministério Mudança de Vida

Postagens mais Recentes:

Esta gostando do conteúdo? Compartilhe!

Facebook
Twitter
WhatsApp

2 respostas

  1. Amei a palavra pregada pela pastora, muito objetiva que nos leva a refletir nossos atos e deveres.

  2. Obrigado ao nosso semhor Jedus Cristo, a todos do Ministerio Mudança de Vida, ao Bispo Murilo a Bispa Cleo, pelo ensinsmento da verdade, primeira vez que vou participar de um proposito, eu e minha esposa neste ano de 2022

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.